07 janeiro 2013

Resenha - O Pequeno Príncipe

Hoje é o  Dia do Leitor, e por isso trago a resenha de um dos maiores clássicos da literatura mundial: 


"Porque nem todo livro para crianças é necessariamente para crianças."

Considerado por muito tempo o livro de cabeceira de todas as concorrentes ao título de Miss Mundo, Miss Universo, Miss Brasil, Miss Água e Sal, Miss Botijão de Gás e tudo quanto é competição de Miss, "O Pequeno Príncipe" só não era mais citado do que a famosa resposta para a pergunta: "Na sua opinião, o que tornaria o mundo um lugar melhor?" (se você não sabe eu deixei uma colinha no final do post). A obra, porém, é muito mais do que uma resposta de praxe para os concursos de beleza. É uma obra que possui algumas das melhores reflexões sobre a  vida e que só podem ser completamente entendidas, se você entender a mensagem final e passar a aplicá-la em sua forma de agir.

O livro sofre um pouco de preconceito, pois é considerado por muitos como uma obra infantil, que apenas crianças podem lê-lo, mas estão enganados, já que essa talvez tenha sido a ideia do autor ao escrever a obra: Você não precisa ser uma criança para ler o livro, apenas precisa deixar de agir como um adulto o tempo todo, e tentar enxergar o mundo com menos preocupação e mais pureza.

O autor transmite essa mensagem em várias passagens durante a estória como, por exemplo, o piloto que quando criança queria seguir a carreira de desenhista, mas desiste quando todas as pessoas acreditam que seu desenho de uma jiboia digerindo um elefante se trata, na opinião deles, de um chapéu. E mais tarde, quando ele encontra o principezinho no deserto ele descobre que o garoto é capaz de perceber que aquilo que todos tratavam como a ilustração de um chapéu é, na verdade, uma jiboia digerindo um elefante. Somente uma criança não se deixa limitar por traços e formas. Uma criança é capaz de enxergar além disso. É capaz de criar um mundo com apenas uma folha de papel ou um lençol.

O principezinho não é nada mais que a personificação da infância do próprio piloto, que se perdeu quando ele teve que se adequar ao mundo dos adultos, e que agora volta para mostrar a ele que manter um pouco de inocência e pureza não é uma coisa ruim.

O garotinho também pode ser tratado como uma representação da nossa própria infância: ele faz amizades facilmente com vários personagens durante sua viagem, assim como nós quando éramos crianças. Quando somos crianças e encontramos alguém da mesma idade, por mais que não a conheçamos, dez segundos mais tarde já estamos brincando com ela como se fossemos amigos de longa data. E quando crescemos, temos certa relutância em interagir com as pessoas, ou por buscarmos diferenças que não existem, ou por que não achamos adequado seu jeito de comer, de se vestir, de falar, etc. . Uma verdadeira crítica ao modo de como começamos a agir quando adentramos na idade adulta.

Por vezes, o principezinho incomoda as pessoas com suas perguntas simples, porém donas de grande inteligência. Sua vontade de querer saber o porquê alguém faz determinada coisa, mostra a curiosidade de toda criança em buscar o conhecimento de uma forma que seja fácil de entender, e a dificuldade que os personagens encontram em responder perguntas tão simples, mostra o quanto, às vezes, fazemos coisas apenas por que outras pessoas fazem, falamos coisas somente por que alguém disse, sem saber o real motivo daquilo, tudo cai na rotina e não nos preocupamos em saber por que tal coisa é feita assim. Os adultos são criaturas difíceis, como diria o garotinho.

O livro também é dono de citações memoráveis. Quem nunca ouviu ou disse alguma vez frases como: "Você é responsável por aquilo que cativas." ou "O essencial é invisível aos olhos."? Citações belíssimas, que guardam uma sabedoria imensa.

A mensagem que "O Pequeno Príncipe" quer transmitir é que nunca devemos abandonar ou deixar morrer a criança que existe em nós, pois ser um adulto, que só pensa como adulto, age como adulto durante todo tempo é uma coisa chata e que nós limita dentro do nosso próprio mundo. Algumas vezes devemos deixar aquela criança sair e comandar, um pouco, nossas atitudes, nosso modo de ver as coisas, nosso modo de pensar, do modo que só uma criança consegue. E para que possamos ser capazes de ver essa mensagem que está presente em todas as entrelinhas, temos que deixar que o pequeno príncipe, que existe dentro de cada um de nós, saia e nos acompanhe durante a leitura.  

P.S: A resposta é "A paz mundial."

13 comentários:

stefane disse...

amoooo ler livros, tenho uma coleçao....
minha bibliotequinha kkk..
tenho 16 anos e ja le bastante livros,.
tenho uma pesquisa de escola,sobre o pequeno principe.,livro que nunca le,mais que sou louca pra ler...,amei o resumo do seu site,e amei suas postagens,de livros muito interessantes ..,
bjos
vou visitar seu site sempre que puder agora!

Anônimo disse...

PARABENS, ESTA MARAVILHOSO ESSE TEXTO!
FIQUEI COM MAIS VONTADE DE LER ESSE LIVRO

Anônimo disse...

Parabéns pelo teu resumo!Li o livro hj pela primeira vez, por indicação da minha psicóloga, e confesso que o hábito que temos- nós adultos - de complicar, acabou me tirando várias percepções que o teu texto me fez entender.
Obrigada

Anônimo disse...

Que merda...

Anônimo disse...

adorei o site

Anônimo disse...

resenha muito bom adorei e muito interesante

Anônimo disse...

Excelente resenha, tem que ter muito sensibilidade para compreender realmente, este livro. Parabéns!!!!

Anônimo disse...

Muito bom esse livro

Anônimo disse...

Sua bunda

Anônimo disse...

lindo livro

raph disse...

Olá,

Como alguns devem saber, toda a obra original de Antoine de Saint-Exupéry entrou em Domínio Público em 1/1/2015 (exceto nos EUA e na França). Isto significa que o seu maior clássico, "Le Petit Prince", também está em Domínio Público. Ao longo de 2014 eu traduzi a obra francesa para o português e trabalhei nas mais de 40 ilustrações originais para criar uma edição digital com a maior qualidade possível. Este ebook se encontra atualmente à venda na Amazon pelo preço mínimo, R$1,99. Esta foi a forma que encontrei de levar esta obra monumental para o maior número possível de corações. Se lhes interessar, segue o link:

http://www.amazon.com.br/gp/product/B00RO2K7XC/

Com carinho,
O tradutor.

Pet TorreS disse...

Amei o seu blog
BeijinhoS
http://pettorres.blogspot.com.br/

washington serpa disse...

Putzzz mto bom mesmo li este livro e é isso mesmo ... 100palavras ... acho que duas palavras se encaixam para o livro mágico e tocante..